30 de julho de 2010

Da minha janela

Ele para à esquina ao vê-la subir a rua. Ela apressa o passo, desvia-se de um carro estacionado em cima do passeio e vai ter com ele, o sorriso rasgado nos lábios, inconscientemente. Ele disfarça os nervos olhando para o telemóvel, como a indicar que há outras pessoas com quem poderia estar - mas não há, e ambos o sabem muito bem. Quando finalmente se aproximam, ele beija-lhe a face, junto ao pescoço, um único beijo muito mais revelador do que se a tivesse beijado nos lábios. Tira-lhe o saco do ginásio que ela carregava ao ombro, dá-lhe a mão, e seguem o seu caminho a olhar-se nos olhos.

7 comentários:

Ulisses disse...

:)

Tulipa Negra disse...

Obrigada. :)

Kawamura disse...

Mas que bela janela... :)

Tulipa Negra disse...

Kawamura, eu gosto... :)
Beijinhos

cai de costas disse...

E achas que ela leu o manual sobre as roupas ligeiras a usar nos transportes públicos antes de frequentar o ginásio?

cai de costas disse...

Ou antes:
E achas que ela, antes de frequentar o ginásio, leu o manual sobre as roupas ligeiras a usar nos transportes públicos?

Tulipa Negra disse...

Cai de costas, parece-me que sim, a rapariga vinha fresquinha que nem uma alface. :)
Beijinhos