6 de julho de 2010

Banda sonora da minha vida

Depois de uma conversa com amigos, comecei a pensar no facto de haver músicas que marcam momentos importantes das nossas vidas e que, por mais anos que passem, lhes ficam para sempre associadas. A música que tocava no rádio quando beijámos alguém a primeira vez (não faço ideia, mas é o exemplo clássico), a música que ouvíamos quando tivemos o acidente de carro (era Bon Jovi, vá lá alguém saber porquê), o primeiro concerto a que assistimos com aquela pessoa (Garbage)... Tudo momentos inesquecíveis, pelos melhores ou pelos piores motivos, e sempre associados a uma música.

Porém, no meu caso, a banda sonora que me tem acompanhado ao longo da vida é, digamos, diferente do que eu desejaria. Podia ser música clássica, podia ser rock ou pop ou até qualquer coisa indie, que agora parece que está na moda e fica bem. Mas não. Por exemplo, durante anos acordei todos os dias às 7h da manhã com a música da vizinha de cima: Marco Paulo, entrecortado pelos gritos da vizinha a tentar acordar os filhos. Acabei por ficar a conhecer as letras praticamente todas de cor. Eu sei, é triste. Já os tempos de estudante ficaram marcados para sempre pela obra desse grande senhor da música portuguesa: Quim Barreiros. Nós bem víamos a MTV (quando ainda passava música e não reality shows), mas nem me lembro do que ouvia, tirando uma ou outra excepção. Em contrapartida, do Quim, não me consigo esquecer. Começou pela tortura do dia de praxe, em que ouvi o Bacalhau da Maria durante algumas 8 horas ininterruptamente, e continuou nos concertos anuais durante a semana académica (admito, ainda fui ver alguns - era jovem, não pensava).

Ou seja, a música da minha vida resume-se aos amores do Marquinho e ao bacalhau do Quim, com uns intervalos menos maus pelo meio. A manter-se esta tendência, o meu velório terá o acompanhamento musical do Tony Carreira...

5 comentários:

Vera, a Loira disse...

Ou do filho, do Michael, também não ía nada mal. lol

Gostei especialmente da parte da vizinha de cima. Marco Paulo pela manhã é dose.

Manuela disse...

E olha que para terminares os teus dias, não vais nada mal :):)

Tulipa Negra disse...

Vera: Até é mais normal que seja o filho, sempre é mais novo e eu não tenho pressa. E o Marco Paulo para acordar era verídico, infelizmente. Beijinhos

Manuela: Pois, se calhar podia ser pior, sei lá! Beijinhos

Trequita disse...

ao menos tinhas música, já eu... quando andava na universidade acordava todos os dias às 7:10 e acredita que o despertador(rádio) a essa hora passava sempre uma publicidade fantástica que era +-assim:
"Um bom dia com Ausonia Protege Slip, pequeno, pequeno dobrado em bolsinhas....."
Nunca me ocorreu passar o despertador para as 7:00 mas enfim "- era jovem, não pensava"
;)

Tulipa Negra disse...

Trequita: Tinha música, tinha os gritos da mulher a chamar os filhos, tinha o barulho que ela fazia a andar de saltos altos em casa, a sacudir tapetes... Tudo de manhã, pela fresquinha, para começar bem o dia. Mas esse anúncio também devia ser muito agradável para acordar! :)
Beijinhos