30 de dezembro de 2010

O dia seguinte ao dia seguinte

Pois que no dia seguinte a um jantar daqueles nem houve coragem de escrever fosse o que fosse. Não era bem uma questão de ressaca, pelo menos não de álcool porque o nível consumido não foi assim tanto, foi mais uma ressaca da reunião de grandes amigos que se reencontraram ao fim de 15 anos. Não sabia que a ansiedade, a felicidade, a adrenalina (ou o que for) também davam direito a ressaca, mas pelos vistos...

Recordações que ficaram para a posteridade: muitas gargalhadas, muitos disparates, um restaurante inteiro a olhar-nos de lado, um gerente amargamente arrependido de ter reservado aquela mesa específica, alguém a cantar La Cucaracha... Os pormenores são demasiado... enfim... pois, é melhor não contar.

E para terminar a noite em beleza, nada como uma viagem de táxi com um taxista que tinha consumido muito mais álcool do que qualquer um de nós.

4 comentários:

Manuela disse...

Querida Tulipa, uma noite, em grande ;)
Beijinhos :)

Vício disse...

ainda bem que não cantaram La Cucaracha no taxi! ele podia meter-se a dançar ao volante...

D. João disse...

e romenas ou polacas para assustar?só pra completar o quadro :P

:)

Tulipa Negra disse...

Manuela, foi mesmo! Já estamos a planear a próxima... :)
Beijinhos


Vício, se tivéssemos cantado no táxi, eu não estaria aqui para contar a história, tendo em conta o nível de sangue no álcool que o taxista apresentava. :)


D. João, não havia! Uma falta imperdoável, aliás... :D