17 de dezembro de 2010

A minha prima

Conheci-a apenas com alguns dias de vida, quando veio para casa da maternidade. Diziam que era igualzinha a mim, em bebé, e mostravam-me fotografias a comprovar. Era verdade, parecia um clone: loira, olhos azuis, muito branca, sempre a rir (eu, entretanto, mudei muito; ela não). Vi-a crescer, aprender a andar, aprender a falar, sobreviver ao divórcio dos pais e a tantas outras dificuldades que a marcaram para sempre e lhe foram roubando o sorriso, pouco a pouco. Excepto quando estava comigo ou com os meus pais. Passava dias inteiros na minha companhia, era praticamente a minha irmã mais nova, eu que nunca tive irmãos. De tal forma que me lembro de, certo dia na fase em que começava a falar, a mãe vir com ela pela mão perguntar-me o que ela queria porque não a entendia. Tratou-me (trata-me) sempre por Prima, nunca pelo meu nome próprio. Tem mais primos, naturalmente, mas esta forma de tratamento está reservada para mim. Ninguém tem dúvidas de quem ela fala quando fala da prima.

Naturalmente, com a idade afastou-se um pouco mais, depois a minha vida deu uma volta radical e deixámos de estar juntas tantas vezes. Na verdade, quase nem falamos durante o ano todo. Mas quando nos vemos... Aquele sorriso é sincero, não deixa margem para dúvidas, e as lágrimas que lhe/me surgem nos olhos também não. Há uns anos, surpreendemo-la no dia de aniversário e aparecemos na festa sem que ela soubesse. Chorou mais do que se lhe tivesse morrido alguém. Aparentemente, tem um ar duro, frio e infeliz. Mas na verdade é um coração mole que chora por tudo e por nada (talvez até nisto seja parecida comigo...).

A minha prima preferida nasceu há 25 anos.

6 comentários:

Vera, a Fera disse...

Eu tenho esse laço com algumas primas minhas, como nunca tive irmãos elas é que os substituiram ao longo da minha vida. Gstei tanto deste post.

Um beijo enorme à Prima, pelo aniversário e à Prima pela homenagem.

Tulipa Negra disse...

Vera, sua Fera! :) Acho que é a maldição dos filhos únicos, criarem laços fortes com outros familiares por não terem irmãos. Obrigada.

Ventania disse...

Não tenho qualquer afinidade com nenhum dos meus (acho que vão em 9) primos, que moram todos muito perto mas nunca nos vemos sem ser por acaso. Mas também sou filha única e reconheço esses elos, com alguns Amigos, que são os irmãos que escolhemos. :)
Parabéns para a tua prima e um beijinho para ti. :)

Tulipa Negra disse...

Ventania, obrigada. Eu já perdi a conta ao número de primos que tenho. E na verdade tenho outros com idades bem mais próximas da minha e com quem não tenho qualquer afinidade. Mas esta é especial.
Beijinhos

Malena disse...

Parabéns às duas, pela amizade! :)

Tulipa Negra disse...

Obrigada, Malena. :)