10 de dezembro de 2010

Difícil também

...é quando finalmente está tudo a voltar ao normal alguém falar de assuntos que me incomodam, me perturbam e me deixam deprimida e ir buscar forças sei lá onde e sorrir, ainda que seja um sorriso triste e falso, mas é o suficiente, dá para o gasto, engana quem não presta atenção, que é o caso, afinal é alguém de tal forma egocêntrico que nem se apercebe de que estão outras pessoas à volta, basta-lhe ouvir o som da própria voz para estar feliz, e ter de preparar as frases de circunstância e as felicitações da praxe e engolir as lágrimas que tentam sair e a vontade de dizer a toda a gente, de gritar bem alto que é injusto, que a conquista, embora motivo de felicidade, não foi assim tão difícil como pensam, que há bem pior e bem mais complicado e que o tanto tempo não foi tanto assim e que o meu tanto tempo afinal é já muito mais e resta-me já tão pouco embora insistam em dizer-me que não.

E poucos dias depois repetir tudo de novo e não conseguir, por mais que tente, ficar verdadeiramente feliz com a felicidade dos outros.

4 comentários:

Ulisses disse...

...é a vida...

:(

Tulipa Negra disse...

Ulisses, pois é...
Beijinhos

Vício disse...

mesmo triste, não achas que um sorriso é demasiado para essa pessoa?

Tulipa Negra disse...

Vício, acho. Mas por vezes é preciso sorrir, mesmo sem vontade. São as regras da vida em sociedade... :) (este é com vontade!)