3 de outubro de 2010

Nonsense (ou talvez não), agora em língua de gente

Ao fim do dia, no autocarro, uma senhora que acabou de fazer a limpeza nos escritórios conversa com outra que é empregada de mesa, mas que actualmente não trabalha porque está de baixa. Aparentemente, o marido da primeira é ladrilhador e trabalha ali naquele edifício ao fundo da rua que tem os andaimes encostados à parede. Amanhã tem um dia muito ocupado pois tem de pôr os azulejos na entrada.

E depois há o outro que bate à porta do escritório e pergunta, antes de entrar: 
- Posso incomodá-la?


(A primeira versão não era muito mais divertida? Era.)

4 comentários:

Kawamura disse...

Sim, esta versão "não é nada bem"... E e os meus "potes" preferimos a primeira;)

Tulipa Negra disse...

Kawamura, "potes" é lindo! Confesso que não conhecia essa. :D
Beijinhos

Ulisses disse...

Divertida mas ininteligível...

LOL

:)

Tulipa Negra disse...

Ulisses, nem por isso. Podia ser pior, acredita! :D
Beijinhos