11 de setembro de 2010

O dia em que o meu mundo mudou

O despertador tocou à hora marcada, acordando-me de uma noite mal dormida. Estava na hora. Como um zombie, arrastei-me pela casa, terminando as tarefas que ainda tinha de fazer antes de sair. Uma hora depois, tinha as malas à porta. Olhei uma última vez para trás, respirei fundo, saí e fechei a porta, mal conseguindo conter as lágrimas. Desci no elevador e entrei no carro que havia de me levar ao aeroporto. Pelo caminho, ia pensando na decisão que tomara uns meses antes. Não tinha agora a certeza de ser a mais correcta. Partir assim, à aventura, largar tudo, deixar para trás a família, os amigos, a cidade, o rio e o mar… Para quê? E repetia para mim mesma que era em prol de um futuro melhor, que nada seria como antes e tudo se resolveria. Que um dia teria a certeza que tudo valera a pena.

Vários anos passados, continuo a repetir: um dia terei a certeza que tudo valeu a pena. Apesar das lágrimas, apesar da tristeza, apesar da distância. Um dia...

Tema Livre, Fábrica de Letras

8 comentários:

João disse...

Acho que nunca temos a certeza de certas coisas que fazemos valeram (mesmo) a pena. No caso, acho que valeu, ou não usarias a expressão "Vários anos passados" (digo eu de fora claro).

Tulipa Negra disse...

João, gosto de pensar que sim.
Beijinhos

Kawamura disse...

Isto soa-me a texto à la Tony Blair :)... Tive um blogue inteiro assim (bem pior, aliás) por isso posso dizer com conhecimento de causa que compreendo, sei do que falas, sei como é e sei como se sente... Beijo.

Tulipa Negra disse...

Kawamura, acredito! Mas essa do Tony Blair... enfim... :)
Beijinhos

Denise disse...

Ontem, tive uma conversa que englobou praticamente tudo aquilo de que falas... Tudo isto porque sou um pássaro e me sinto há demasiado tempo parada. 10 anos passados em África permitiram-me olhar o mundo de outro modo, agora, há 3 que estou no país que me viu nascer, no entanto em outra cidade, a mesma que me começa a sufocar...
Tenho feito o oposto da personagem, repito para mim mesma que tenho de ficar mais um pouco, porque nao é justo deixar um curso por acabar, agora que estou tão perto do fim... Mas eu sei que um dia vou e estando habituada a perdas e danos, estando habituada a partir e ver partir, acredito que valerá a pena, porque o preciso...
Mas quando há dúvidas, quando repetimos que teremos a certeza de que tudo valeu a pena é simplesmente porque não valeu, mesmo que seja difícil encarar a vida assim...

Beijo*

Tulipa Negra disse...

Denise, bem-vinda!
Estas incertezas são talvez fruto de uma nostalgia mais acentuada num dia ou noutro. Em geral, valeu a pena, mas há dias em que nos questionamos sobre tudo e mais alguma coisa.
Beijinhos

AVOGI disse...

o problema do Homem é sempre o mesmo. um dia um dia não hoje resolve-se.
kis :)

Tulipa Negra disse...

Avogi, é verdade. Temos tendência para deixar tudo para depois e esperar que as coisas aconteçam...
Beijinhos