21 de março de 2011

Hoje

Começa a Primavera (aleluia!) mas também é o Dia Mundial da Poesia (e da árvore e se calhar também das flores e dos passarinhos e das nuvens e vai-se a ver até das formigas, que afinal um dia tem vinte e quatro horas e, bem divididinha a coisa, ainda se arranja espaço para mais umas comemorações concentradas todas no mesmo dia. Adiante.) Ora como de flores vai andar esta blogoesfera cheia, e como por aqui a Primavera só chegou em nome porque o frio continua invernal apesar do sol, a dona deste estaminé preferiu comemorar o dia da poesia. E como? Com um poema (óbvio...) de uma autora das novas que começa a ser reconhecida no meio literário (menos óbvio...) e que ainda por cima calha ser filha de uma amiga desta que vos escreve (completamente inesperado...). Apreciem e vão comprar os livros porque a rapariga precisa de vender, vá.


Entardecer

Hoje entardeci mais despida do que antigamente.
Não sei se pelos bosques tão devastados
se pelas bagas que colheste do meu dorso.
À tua sombra todos os amores são silvestres,
só as amoras são frutos impossíveis.

Catarina Nunes de Almeida, Prefloração

9 comentários:

Orquídea Selvagem disse...

Minha querida Tulipa...
Rejubilemos hoje mais do que até aqui porque, como amantes de flores que somos, a Primavera dá-nos tantos encantos!!

Gostei muito do poema que escolheste [também ele um ode à natureza e ao amor] e os parabéns à autora.

Um beijinho especial para ti. :)

João(mais nada) disse...

lindissímo o poema.

Vício disse...

eu já tinha ouvido a expressão "não ter uma horta nas costas" quando uma pessoa foge da chuva mas colher bagas no dorso... é original!

Tulipa Negra disse...

Orquídea, é verdade, já se vêm por aí flores e as árvores começam a ter folhas novamente. Ainda bem! :)
Beijinhos


João, ainda bem que gostas. :)


Vício, é liberdade poética! :D

Manuela disse...

Querida Tulipa, gostei do poema!
Sabes qual a editora?
Beijinhos.

susana disse...

E não há nada melhor que acabar um dia com um poema destes, e tenho a mesma pergunta que a Manuela...

Tulipa Negra disse...

Manuela e Susana, ainda bem que gostaram! A editora é a Deriva e o último livro chama-se Bailias. Se não estou em erro, este poema é do segundo livro (já tem 3 publicados).
Beijinhos

Salvador disse...

Bonito poema, Tulipa. Obrigado pela partilha ))

Tulipa Negra disse...

Ora essa, Salvador, sempre às ordens! :)